Acervo Privalia

Terapias capilares

de Privalia (7 dezembro 2010)

Reza o ditado que é dos carecas que elas gostam mais. Vamos combinar que não é bem assim ou todos teriam orgulho de mostrar os reluzentes espaços que surgem por entre as madeixas. A falta de cabelo é um situação que afeta uma porcentagem desconhecida da população masculina – mesmo porque muitos disfarçam a pouca cobertura ou quando perguntados sobre ela simplesmente negam os fatos. A queda capilar, porém, tem solução em alguns casos. Pode não fazer renascer das cinzas uma floresta amazônica, mas recria uma parte da mata.

A questão é como fazer isso. Há diversas opções que vão da laserterapia à argiloterapia, passando pela massagem capilar e pela aromaterapia. Todas elas buscam fortalecer os fios e o couro cabeludo, eliminando dois dos maiores vilões da queda de cabelo: a caspa e a seborréia.

A caspa, um aglomerado de células mortas que se desprendem do couro cabeludo, é causada basicamente pelo excesso de gordura na alimentação, excesso de produção de hormônios, estresse ou cabelo mal enxaguado. No caso da seborréia, o distúrbio é nas chamadas glândulas sebáceas, que ao aumentar sua produção de gorduras leva à irritação do couro cabeludo que desemboca primeiro na caspa e depois na obstrução do folículo, estrutura de onde saem os pelos (e cabelos nada mais são do que um tipo de pelo), daí já viu, né: cabelos ao chão. Junto com os tratamentos é importante reforçar a ingestão de alimentos ricos em vitaminas do complexo B, vitamina A, vitamina C, vitamina E e zinco que contribuem para um cabelo saudável.

Agora, é também muito comum os casos de falta de cabelo hereditário. Neles, o grande responsável são os genes, um problema que leva à diminuição dos folículos pilosos e o resto da história você já sabe. Uma opção aqui é utilizar remédios que diminuem e revertem a queda como o minoxidil e a finasterida. A última opção é fazer um transplante de cabelos, mas, nesses casos, talvez valha a máxima: é dos carecas que elas gostam mais (ou ao menos mais do que os com cabelo de outra cabeça).

Antes de tomar qualquer atitude em relação ao seu cabelo, no entanto, consulte um dermatologista para ver qual o tratamento mais adequado para o seu caso.

Compartilhe!

Sobre o autor
Privalia

Privalia

Deixe seu comentário