Acervo Privalia

Filtro solar: use sempre

de Privalia (24 setembro 2010)

Usar filtro solar toda vez que vai se expor ao sol não é uma questão de gosto, é de saúde. Proteger a pele contra a radiação ultravioleta do sol é uma necessidade para todos que queiram reduzir os efeitos dos raios solares sobre o corpo. As conseqüências de simplesmente não usá-lo vão de queimaduras a um maior risco de câncer de pele no longo prazo, passando por envelhecimento prematuro da pele.

Os filtros solares mais adequados são aqueles que protegem contra os dois tipo de raios ultravioleta: UVA e UVB. A especificação é obrigatória na embalagem. Outro ponto importante é o fator de proteção solar, o FPS. Sua escolha adequada é fundamental e depende do tipo de pele. Pessoas com peles mais sensíveis devem usar um fator de proteção maior. Um produto com FPS 15, por exemplo, permite a exposição da pele ao sol por um período 15 vezes maior do que seria permitido sem o seu uso. Agora o que vale mesmo para ver se o filtro solar está agindo de forma adequado na sua pele é olhar para ela. Se ficar vermelha após a exposição ao sol é porque o filtro solar não está protegendo de forma eficaz contra os raios UVA e UVB. Neste caso, das duas uma: ou você aumenta o FPS ou reaplica o filtro em intervalos menores.

E aqui não estamos falando de usar o protetor solar quando for à praia tomar sol. Usá-lo no dia a dia é também fundamental. Afinal o sol quando brilha simplesmente brilha e (obviamente) queima mesmo que você não esteja se lembrando disso. Aqui, novamente valem as mesmas indicações dadas acima e também as dicas dadas pelo Instituto Nacional de Pesos e Medidas (Inmetro) — que testa a qualidade dos protetores solares — abaixo.

• O horário de exposição deve ser o de menor intensidade dos raios solares. Não é recomendável a exposição ao sol entre 10 e 16 horas;

• Não é aconselhável permanecer por longos períodos na mesma posição, como dormir, por exemplo. O ideal é mudar de posição freqüentemente;

• Tome sol moderadamente para que o efeito das radiações solares seja benéfico;

• Áreas sensíveis como rosto, lábios e cabeça, principalmente os calvos, necessitam de um cuidado maior e, portanto, de um protetor solar de FPS mais elevado;

• Durante a exposição solar, não é aconselhável utilizar produtos como perfumes ou outros não específicos, como descolorantes para os pêlos. Eles devem ser evitados. Em geral, promovem queimaduras e podem aumentar os casos de alergia, além de não protegerem contra os efeitos das radiações solares;

• Alguns produtos de uso diário, como batom e maquilagens, fornecem proteção natural. Geralmente contêm, em sua composição, agentes refletores de radiação solar;

• Tome cuidado com a utilização de certos medicamentos, como o ácido acetilsalicílico (aspirina), que em combinação com o protetor solar e o sol podem provocar reações alérgicas;

• Produtos importados devem trazer informações claras e em português quanto ao seu nível de proteção, tipo de pele indicado, modo de uso e demais informações que permitam sua utilização correta;

• Opte por guarda-sóis de algodão e de cor clara. A cor escura absorve radiação e calor. Tecidos de nylon produzem sombra, mas não protegem da radiação solar;

• Verifique qual é o fator de proteção mais adequado para o seu tipo de pele. Em caso de dúvida – de preferência sempre – devem ser utilizados os produtos com FPS mais elevados;

• O mormaço também ocasiona queimaduras. A brisa, por oferecer uma sensação refrescante, pode levar a pessoa a esquecer os efeitos nocivos do sol;

• A eficiência de um protetor solar está relacionada diretamente à sua utilização correta. Fique atento às instruções da embalagem quanto ao tempo de reaplicação do produto, levando em consideração fatores como a transpiração e o contato direto da pele com qualquer superfície que propicie a remoção do produto

Compartilhe!

Sobre o autor
Privalia

Privalia

Deixe seu comentário